ZeroMan
avaliação: 0+x

Página incluída "credit:start" não existe (crie agora)

Artigo: SCP-877 - Microchips da Universidade
Autor: EskobarEskobar
Original: http://www.scp-wiki.net/scp-877
Tradutor: ZeroManZeroMan

Página incluída "credit:end" não existe (crie agora)

avaliação: 0+x
scp-877.jpg

SCP-877, geração █

Item nº: SCP-877

Classe do Objeto: Euclídio Keter

Procedimentos Especiais de Contenção: Todas as cópias de SCP-877 devem ser mantidas em recipientes selados eletromagneticamente dentro do cofre de armazenamento do Sítio 19. Os recipientes devem ser equipados com receptores de rádio configurados para escanear todas as frequências de transmissões de entrada ou de saída. Um relatório de frequências usadas anteriormente deve ser mantido em arquivo. Qualquer transmissão de qualquer cópia de SCP-877 deve ser relatada imediatamente ao comando do Sítio 19. Esforços não devem ser medidos para capturar o maior número de espécimes de SCP-877 que possível, para que se possa determinar as outras habilidades do objeto.

Descrição: SCP-877 é um conjunto de quatro dez doze microchips adquiridos entre 199█ e 201█ dos córtices cerebrais de diferentes mamíferos pequenos. Animais encontrados que continham cópias de SCP-877 incluem, mas não se limitam a, Sciurus carolinensis (o esquilo-cinzento), Felis catus (o gato doméstico), e Eumops perotis (o morcego mastim ocidental). Os microchips não possuem nenhuma marca exceto pequenos selos, legíveis apenas por microscópio eletrônico, que dizem “DEPARTAMENTO DE BIO. DA UNIVERSIDADE ALEXYLVA,” seguido por “GERAÇÃO” e um número. Entretanto, nenhum registro de uma instituição chamada “Universidade Alexylva” existe. Além disso, as habilidades destes microchips estão além da capacidade tecnológica de criação de qualquer laboratório conhecido.

Cópias de SCP-877 têm uma velocidade de processamento em potencial de 3.3x10██ milhões de instruções por segundo em ██ terahertz e memória estimada em ███ petabytes. Os chips são capazes de fazer interface com as funções motoras de criaturas hospedeiras e controlá-las, embora geralmente permitirá que os animais realizem atividades rotineiras guiadas por instinto (comer, aninhar, acasalar).

SCP-877 foi somente principalmente observado tomando controle de seu hospedeiro com o propósito de se propagar (ver Adendo 877-2). O mecanismo que torna isso possível permanece desconhecido, mas o comportamento associado foi bem documentado. Um animal hospedeiro irá se aproximar de outro animal e imobilizará o mesmo da forma mais conveniente para ele. O hospedeiro morderá a criatura em algum lugar em sua cabeça, criando um contato com o sangue dos dois animais. O hospedeiro original liberará o animal após dez minutos.

Dentro de vinte e quatro horas, uma nova cópia de SCP-877 vai surgir no novo hospedeiro; o chip será um pouco menor e o número de geração terá avançado um dígito. O maior número de geração localizado até a data atual é █ (ver Adendo 877-2 para dados atualizados), e cada chip aparenta ser capaz de propagar-se até seis vezes, sugerindo que a população total de SCP-877 pode ser de milhões dezenas de milhões.

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License