iago silame scp

Registro encontrado nos arquivos pessoais de Dr. ██████:

07/12/2018

7:35 P.M (Início do Registro)

█████, Rio Grande do Sul

Estou dentro de um carro da Fundação. Daqueles blindados, nunca se sabe o que pode acontecer. Tento olhar para o horizonte e quase fico cego, o sol baixo do entardecer queima meus olhos.
Não me lembro quando comecei a anotar meus registros pessoais dessa forma, como num livro. Tudo o que sei é que me sinto bem melhor desde então.

Já faz algum tempo em que fui escalado para esse serviço: Ir até SCP-018-PT-1 e realizar anotações sobre o local e o comportamento de seus habitantes; a forma com que eles costumam lidar com… bem, você já sabe.

Ao pensar sobre anomalias como essas, me pergunto: como será a vida para essas pessoas? Digo…elas nunca tiveram (não podem ter) acesso a câmeras e reprodutores de vídeo…elas nunca nem sequer tiveram acesso a internet. Vivem isoladas, não conhecem nada além do básico para a sobrevivência, e isso não é uma escolha delas.

Ás vezes, quando penso nisso, me pergunto: Será que estamos realmente fazendo o certo? A Fundação está protegendo essas pessoas, procurando uma solução para seu problema, ou está apenas jogando a sujeira por baixo do carpete, escondendo-as do mundo até que se comam?
Isso realmente me incomoda, até o momento em que me recordo de que se todos forem soltos, a situação deles estaria bem pior. Então sim, talvez eles não tenham liberdade, mas têm controle, e é isso que importa por enquanto.

Já fazem mais de oito horas que estamos rondando por entre estradas, e parece que nunca chegamos á lugar nenhum. Esse sol, esse maldito sol na minha cara atrapalha muito, sorte minha que já está quase anoitecendo.

Graças a Deus, (se é que a Fundação permite que exista um) consigo ver uma muralha nos horizontes. Provavelmente será feita uma vasculha no carro para ver se não são encontrados nenhum tipo de câmeras ou algo do tipo. Hora de esticar as pernas.

Não guardo comigo boas recordações de pesquisas de campo como essa. Da ultima vez, eu, juntamente com a equipe MTF que estava me acompanhando, encontramos um monte de criaturas grotescas no interior de SCP-150-PT-IT. Além disso, ano passado, dois MTF´S que já haviam me acompanhado em missões anteriormente se perderam no interior de SCP-101-PT. Nada que eu não supere. Como todos sabemos, uma das regras básicas daqui é: Não se envolver demais com nenhum Funcionário, por razões óbvias.

Hora de entrar e adquirir novos conhecimentos. Não que isso me deixe animado, estou ciente do que posso encontrar lá. Muitos desaprenderam a falar ou até mesmo vegetam, tudo por conta das traumáticas experiências que sofreram. Por outro lado, meu dever acima de tudo é Assegurar, Conter e Proteger, não importa a situação. Hora de ir.

8:40 P.M (Fim do Registro)

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License